DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 27/11/2018    149 Visualizações

GOVERNO DE RO: Começa a ser montado o '1º Escalão' do time de Marcos Rocha

No mar de especulações na reta de final de governo de Daniel Pereira e aquecimento nos bastidores da equipe do Coronel Marcos Rocha,
Compartilhar

Os nomes da futura equipe do primeiro escalão do governo de Marcos Rocha são um mistério, no entanto apesar das especulações alguns são ventilados como certos para formar o batalhão de frente do novo chefe do Poder Executivo de Rondônia. Fontes afirmam que no próximo dia 18 de dezembro, mesma data da diplomação dos eleitos, durante um evento programado para ocorrer no auditório da Unopar, na avenida Rio de Janeiro, em Porto Velho, será ventilado algo sobre os escolhidos para participar da nova gestão.

Na Coluna Opinião de Primeira, do jornalista Sérgio Pires, algumas informações foram divulgadas hoje. Os primeiros que aparecem na possível preferência do novo governador. Um deles é Elias Resende de Oliveira, que é homem de confiança e poderá compor os quadros, mas não se sabe em que função.

 Para a pasta da Agricultura, desde outubro se fala em  Evandro Padovani, que foi secretário de Confúcio Moura, era do MDB e concorreu a deputado federal pelo PSL (fez 26.856 votos).

O terceiro cogitado é o empresário Júnior Gonçalves. Ele é hoje, na equipe de transição, o responsável pela agenda do Coronel Marcos Rocha. É publicitário, e tem dito não querer assumir o cargo na Superintendência de Comunicação.

 Na caserna a rigidez militar pede cautela nos comentários mas existe uma preferência de recrutas a coronéis pela permanência no Comando Geral da PM, sob a batuta do Coronel Mauro Ronaldo Flôres Corrêa. O próprio futuro Governador já teria confirmado a nomeação, entre os mais próximos.

 A Secretaria de Finanças (Sefin) gera grande curiosidade e há pelo menos dois nomes na disputa, ambos técnicos e servidores estáveis do Estado.

O calcanhar de Aquíles é a pasta do Meio Ambiente, recentemente manchete dos jornais por meio de operação da Polícia Civil, que culminou com o escândalo de prisões e afastamentos de técnicos do órgão. Essas notícias vieram em péssima hora neste período de transição. 

 Agora é esperar a manifestação oficial do novo governador, para ver quem serão seus comandantes das diversas frentes para a condução de Rondônia nos próximos quatro anos. É esperar para ver!


FONTE: RONDONIAVIVO






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE