DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 30/11/2018    313 Visualizações

Flona Bom Futuro sofre invasão por grileiros da região

Compartilhar

A Floresta Nacional do Bom Futuro, unidade de conservação federal sob a gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), tem sido foi alvo de invasões, desde outubro, apesar de realizar constante patrulhamento na área.

Um grupo de grileiros da região do Vale do Jamari, especializados em invasões de terras públicas e privadas, mediante a disseminação de informações falsas (desafetação, loteamento e legalização de terras invadidas no interior da Flona Bom Futuro), está arregimentando e cadastrando pessoas com a falsa promessa da entrega de lotes no interior da unidade de conservação federal. Um dos líderes da invasão foi preso, e foi encontrado com ele documentos relativos ao cadastramento e pagamento de mensalidades de invasores.

Segundo informações levantadas pela equipe de fiscalização do ICMBio os líderes dessa quadrilha cobram R$ 250,00 de mensalidade para, segundo eles, pagarem os serviços advocatícios de legalização da área. Entretanto, tudo isso é mentira.

"O ICMBio está tomando todas as providências legais junto à Advocacia Geral da União, o Ministério Público Federal, a Justiça Federal e os órgãos de segurança pública para, num curto prazo, procederem com a efetiva retirada de todos os invasores que neste momento estão ocupando parte da Flona Bom Futuro, inclusive com a prisão em flagrante daqueles que forem encontrados no local", alerta o coordenador-geral de Proteção do ICMBio, Luiz Felipe de Luca de Souza.

Nesse contexto, a direção do ICMBio solicita aos que foram enganosamente cooptados pelo grupo criminoso, que deixem pacificamente o local, a fim de evitarem a responsabilização civil e criminal pelos danos causados à Flona Bom Futuro.

Caso o cidadão, tenha alguma dúvida se sua área está no interior da UC, entrar em contato com a gestão da Flona pelo telefone 69/32176545.


FONTE: ICMBio






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE