DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 11/03/2019    317 Visualizações

Homem é condenado à prisão por se masturbar na frente de vizinha e crianças em Monte Negro

O caso foi denunciado às autoridades e levou a condenação do suspeito
Compartilhar
O caso foi denunciado às autoridades e levou a condenação do suspeito

Um processo que correu em segredo de Justiça condenou um homem a mais de dois anos de cadeia por supostamente se masturbar e realizar gestos obscenos com as mãos na presença de crianças e de uma genitora. O caso aconteceu no ano de 2018 no loteamento Boa Vista em Monte Negro.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público, o réu com as iniciais A.S.A. de 40 anos, por mais de uma vez se masturbou na frente de crianças e de sua vizinha que é mãe de uma das menores.

Consta na denuncia, que o suspeito em datas não apuradas, por três vezes realizou atos obscenos que foram assistidas por crianças. A primeira delas, o réu se masturbou na frente de três crianças. Já o segundo caso, o homem realizou ato libidinoso com gestos com as mãos, também na presença das três crianças. No terceiro ato, o suspeito se masturbou na presença de uma criança e de sua mãe.

O processo que correu em segredo de Justiça arrolou testemunhas que foram ouvidas. Após ser concluída a instrução processual, o Ministério Público pediu pela condenação do acusado. Já em sua defesa, o réu pediu pela absolvição por falta de provas.

O caso foi analisado pela Juíza Cláudia Mara da Silva Faleiros Fenandes da 2º Vara Criminal de Ariquemes, que condenou o réu a 2 anos, 4 meses e 24 dias de reclusão. Porém a magistrada substituiu a pena privativa de liberdade por duas restritivas de direitos, consistente em prestação pecuniária e prestação de serviços à comunidade durante o período da pena corporal.

- O motivo do crime foi à satisfação da própria libido. Circunstâncias do crime: são relevantes, pois se aproveitou do fato de ser vizinho da vítima para consumar seu intento. As conseqüências nessa espécie de delito são relevantes, pois gera nas crianças e adolescentes, grande medo em relação às pessoas do sexo masculino, refletindo no estado emocional e psicológico da vítima – Destacou a magistrada ao condenar o homem.

Apesar da condenação, o réu poderá recorrer da sentença.


FONTE: Rondônia Vip






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE