DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 13/05/2019    92 Visualizações

Focos de calor em RO crescem mais de 90% nos 4 primeiros meses de 2019, diz Inpe

Compartilhar

Com o início da transição do período chuvoso ao seco – que acontece em maio –, os focos de calor em Rondônia começam a aparecer. No entanto, antes mesmo da mudança, nos quatro primeiros meses de 2019, o número de focos cresceu mais de 90%, em comparação com o mesmo período de 2018.

De janeiro a abril deste ano, o estado registrou 109 focos de calor, contra 57 no ano passado. Nesta quinta-feira (9), Rondônia já soma 119 pontos de chamas.

As informações constam no banco de dados do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Hoje, Rondônia ocupa a 16ª posição entre os estados do Brasil que apresentam focos de calor. O campeão da lista é Roraima, que registrou mais de 4,5 mil focos até o momento.

Apesar do aumento no número de pontos de calor em Rondônia, Fábio Adriano Monteiro, meteorologista da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), garante que a quantidade atual de focos não é preocupante.

"Ainda são poucos se pensarmos pela quantidade de dias que já contabilizamos este ano. Entre julho e novembro é que temos mais atenção", explicou Fábio.

 
Meteorologista Fábio Adriano Monteiro e equipe da Sipam monitoram focos de incêndio.  — Foto: Mayara Subtil/G1Meteorologista Fábio Adriano Monteiro e equipe da Sipam monitoram focos de incêndio.  — Foto: Mayara Subtil/G1

Em âmbito estadual, o coordenador substituto do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PrevFogo) em Rondônia, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Hélio Moreira, disse que os trabalhos para encontrar medidas de combate às queimadas este ano já começaram.

A primeira delas é a contratação das brigadas federais, que segue em curso. Os funcionários trabalharão diretamente nos municípios mais críticos, monitorando o surgimento de mais focos e orientando a população por meio da educação ambiental.

 
Hélio Moreira, coordenador do PrevFogo, diz que brigadistas federais já estão sendo contratados.  — Foto: Mayara Subtil/G1

"Isso é o que estamos fazendo agora. Vamos começar no dia 1º de junho, já que a situação começa a preocupar mesmo na primeira quinzena do mês que vem. Mas a nossa preocupação mesmo é julho, agosto e setembro, os três meses mais críticos", explicou Hélio.

No total, o PrevFogo contará com 75 brigadistas federais em Rondônia e 41 no Amazonas.

Em solo rondoniense, os servidores vão estar lotados em Machadinho D’Oeste (RO), Assentamento Joana D’Arc e Jaci-Paraná, ambos locais próximos de Porto Velho, além de em Nova Mamoré (RO) para atender as cidades que ficam perto de Guajará-Mirim (RO).

 

FONTE: G1/RO






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE