DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 05/06/2019    114 Visualizações

Marta usa música e intensidade em recuperação, mas CBF mantém cautela: ''Ela é humana"

Compartilhar

Ao embarcar para a preparação da Copa do Mundo, há duas semanas, Marta carregava um sorriso no rosto. Nas costas, um violão que costuma embalar seus momentos livres durante o período longe de casa. Não sabia que os primeiros dias de treinamento e adaptação em Portugal a pregariam uma rasteira. Uma lesão muscular na coxa esquerda que a tirou de campo por 11 dias.

Ali, o inseparável violão deixou de ser passatempo e virou uma espécie de terapia.

Era com a música que ela chegava todos os dias no tratamento intensivo de fisioterapia. Intensivo ao pé da letra. Nos últimos dias, foram em média quatro sessões de fisioterapia diárias, que, na terça-feira passada, surtiram a primeira resposta positiva: Marta voltou ao gramado. Ela iniciou o trabalho de transição e realizou corridas leves.

E, mais do que voltar a pisar no seu habitat natural, a melhor jogadora do mundo voltou a sorrir.

 
Marta durante sessão de fisioterapia com a seleção — Foto: CBFMarta durante sessão de fisioterapia com a seleção — Foto: CBF

Marta durante sessão de fisioterapia com a seleção — Foto: CBF

Com o retrospecto ruim de nove derrotas nos últimos nove jogos, a presença de Marta no último treino antes do embarque para a França, sede da Copa do Mundo Feminina de Futebol, serviu de injeção de ânimo para o time.

– A energia dela é importante para nós. O futebol dela muito mais – disse a zagueira Mônica.

 

– A gente sabe da importância de ter a seis vezes melhor do mundo. Tê-la de volta ao gramado com a gente é uma satisfação muito grande – reforçou a atacante Bia Zaneratto.

Depois de duas semanas de preparação na região do Algarve, em Portugal, a seleção brasileira embarca nesta quarta-feira para a França. A estreia será domingo, contra a Jamaica. Austrália e Itália completam o grupo na primeira fase.

 
Marta ao lado do preparador físico da seleção brasileira feminina no campo de treino em Portimão — Foto: Amanda Kestelman/GloboEsporte.comMarta ao lado do preparador físico da seleção brasileira feminina no campo de treino em Portimão — Foto: Amanda Kestelman/GloboEsporte.com

Marta ao lado do preparador físico da seleção brasileira feminina no campo de treino em Portimão — Foto: Amanda Kestelman/GloboEsporte.com

Marta iniciou a fisioterapia no mesmo dia que foi detectada sua lesão. Não quis perder tempo. Os primeiros dias foram difíceis, mas o abalo rapidamente foi trocado pela motivação. Segundo os especialistas que a acompanharam ao longo do início do processo, a jogadora era monitorada muitas vezes, de hora em hora.

– Ela trazia o violão dela e nos animava também. Vê-la (no departamento médico) no começo foi difícil. Todos ficaram tristes. A evolução nos traz alegria. Foi um dia diferente, poder pisar no gramado, a felicidade dela é bem maior do que quando estava na fisioterapia - disse o médico da Seleção, Nemi Sabeh.

Seis vezes melhor do mundo. Talvez, por essa credencial, seja importante ressaltar que ainda é cedo para cravar a presença da camisa 10 da Amarelinha na estreia. O médico da seleção, Nemi Sabeh, afirma que os próximos dias serão cruciais para uma resposta definitiva:

 

– Marta é humana, né? Por mais que seja Marta, a gente precisa ter cautela. Uma lesão muscular pode ter piora. Estamos fazendo de tudo para que aconteça (jogar na estreia). Vai depender do critério clínico nos próximos treinos.

 

"Vamos conseguir avaliar com mais precisão quinta-feira ou sexta"

 

Após o retorno ao campo, Marta será reavaliada. Será importante saber como o local de sua lesão responderá aos estímulos iniciais em campo.


FONTE: globo Esporte






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE