DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 06/06/2019    79 Visualizações

Agricultores de Theobroma aprendem boas práticas na criação de galinhas

Os produtores são orientados de modo coletivo em reuniões inclusive com demonstrações práticas.
Compartilhar

Os agricultores assentados nos projetos da reforma agrária no município de Theobroma estão tendo oportunidade de inovar numa atividade, que de tão comum, tem permanecido quase invisível para o mundo econômico, a criação de galinhas caipiras.

Por causa dos surtos de doenças que de tempos em tempos dizimam os poleiros, os técnicos da Emater-RO no município resolveram oferecer capacitação em sanidade das aves aos produtores, e a aceitação foi tão boa que logo nas primeiras reuniões 33 famílias decidiram vacinar suas aves e fazer o controle sanitário da criação.

A criação e venda de galinha caipira sempre foi uma atividade importante dentro da propriedade rural e um produto muito apreciado, tanto no campo quanto na cidade, mas nunca teve o destaque que realmente merece, apesar do papel relevante na subsistência das famílias, como principal fonte de proteína de alto valor nutritivo, tanto na carne quanto nos ovos, e representar um importante excedente de renda, para as famílias, com a venda de aves e ovos.

O cuidado com os planteis de aves caipiras em Theobroma surgiu da observação do técnico agrícola e extensionista da Emater-RO Fernando Moreira e da extensionista médica veterinária Edilena Santiago, que perceberam o prejuízo dos produtores por causa dos surtos de doenças que provocam febre e morte das aves, como a tifo e a cólera aviaria.

Os extensionistas iniciaram o trabalho de orientação das famílias agricultoras nos assentamentos: Setor Oriente, Vale Encantado e Lamarca, porque entre os agricultores, muitos, se não a maioria, desconhecem as boas práticas de manejo na criação de aves, e que esta pode ser uma atividade econômica rentável, e de baixo custo operacional, observa Edilena Santiago.

Os produtores são orientados principalmente em boas práticas de higiene das instalações e limpeza adequada dos comedouros e bebedouros, como estratégia de prevenção de doenças e controle de possíveis infestações de parasitos, externos e internos. As vacinações são orientadas apenas para as doenças que se tem histórico de ocorrência de surtos.

As orientações técnicas são realizadas através de visitas às propriedades, mas principalmente através de reuniões, onde participam homens e mulheres, realizando inclusive atividades de demonstrações práticas. Além das questões sanitárias os produtores também recebem orientações para uma alimentação equilibrada das aves, para que consiga o melhor desempenho da criação e se tenha o êxito desejado.


FONTE: Theobroma






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE