DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 09/06/2019    389 Visualizações

Alunos de instituto indígena de RO fazem pesquisa sobre qualidade das nascentes

Projeto foi desenvolvido pelas disciplinas de química e biologia, em Pimenta Bueno. Foram avaliados volume, pH, temperatura, oxigenação da água e
Compartilhar
Estudantes analisaram três nascentes dentro do campus. — Foto: Uiles Oliveira/Arquivo pessoal

Estudantes indígenas de mais de cinco etnias e não indígenas do curso técnico em agroecologia do Centro Técnico (Centec) de Educação Rural Abaitará, de Pimenta Bueno (RO), município a 518 quilômetros de Porto Velho, desenvolveram um projeto para avaliar as características físicas e químicas das três nascentes existentes dentro do campus.

O trabalho ocorreu na última semana, quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente. Durante as atividades, os alunos avaliaram volume, pH, temperatura, oxigenação da água e composição florestal da Área de Preservação Permanente (APP) das nascentes.

O projeto foi desenvolvido pelas disciplinas de química e biologia. Dentro do campus existem três nascentes: duas na floresta e uma no pasto.

"Com o projeto, os estudantes concluíram que as nascentes protegidas pela mata apresentaram melhores condições de manutenção do equilíbrio biológico, enquanto que aquelas desprotegidas possuem menor vazão. São mais ácidas, com menor índice de oxigenação na água e tem a temperatura mais elevada", explicou um dos orientadores do projeto, o professor mestre Almério Câmara Gusmão.

 
Trabalho foi defendido pelos alunos no último dia 6 de junho na II Semana do Meio Ambiente.  — Foto: Uiles Oliveira/Arquivo pessoalTrabalho foi defendido pelos alunos no último dia 6 de junho na II Semana do Meio Ambiente.  — Foto: Uiles Oliveira/Arquivo pessoal

Trabalho foi defendido pelos alunos no último dia 6 de junho na II Semana do Meio Ambiente. — Foto: Uiles Oliveira/Arquivo pessoal

Os estudantes também contaram com a orientação do professor de química Uiles Oliveira. Para ele, trabalhar a pesquisa e a iniciação científica contribui essencialmente ao processo de ensino e aprendizagem.

"Esses resultados serviram de grande aprendizagem para os estudantes, pois reforçou a importância da mata ciliar que protege as nascentes e os cursos d'água, bem como todo equilíbrio biológico da área", destacou.

A equipe envolvida construiu um artigo científico com os resultados. O trabalho foi defendido no último dia 6 de junho na II Semana do Meio Ambiente, oferecido pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) de Cacoal (RO). O Dia Mundial ao Meio Ambiente é comemorado dia 5 de junho.


FONTE: G1 RONDÔNIA






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE