DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 01/07/2019    214 Visualizações

Após desabafo de cozinheira na web, PM intensifica ações contra crimes em Rolim de Moura, RO

Compartilhar

Um desabafo emocionado feito no Facebook pela cozinheira Maria Madalena Fernandes dos Santos, de 38 anos, moradora de Rolim de Moura (RO), chamou a atenção das autoridades. Com isso, ações preventivas e repressivas foram intensificadas no bairro Jardim Tropical, onde ela mora. A publicação de Maria Madalena foi feita no dia 27 de junho.


Em um dos trechos do post, a cozinheira diz: "Eu não aguento mais ser roubada. Tenho direito de ter paz. Desse jeito eu vou trabalhar e nunca vou ter nada". A publicação já tem milhares de curtidas, compartilhamentos e comentários de usuários que se compadeceram com o caso.


Após a publicação viralizar na web, representantes da Polícia Militar (PM) de Rolim de Moura foram até a casa da cozinheira, ouviram os relatos das vezes que ela foi vítima de assaltos, que foram quatro apenas em 2019. No entanto, ela registrou apenas uma ocorrência policial de uma das invasões.


Durante a visita, os policiais se comprometeram a oferecer a ela e aos demais moradores do bairro uma maior sensação de segurança.



Maria Madalena postou foto no Facebook aos prantos após última invasão de bandidos na casa dela. — Foto: Reprodução/Facebook


"Essas ações visam intensificar o patrulhamento ordinário ostensivo que já vem sendo realizado no bairro Jardim Tropical e também a suspeitos que tenham na região, como comércios de venda de entorpecentes. Além disso, o serviço de inteligência fará ações preventivas, tentando localizar possíveis suspeitos de terem praticado os crimes contra a Maria Madalena", explicou o cabo da PM, Alex Pereira.


Após receber a visita da PM e muito apoio de internautas nas redes sociais, Maria Madalena fez um novo post em seu perfil. Mas, dessa vez ela trocou o rosto coberto por lágrimas por um belo sorriso e agradeceu pelo carinho.


"As autoridades da nossa cidade já me procuraram, dei vários depoimentos, e graças a Deus hoje estou feliz, tranquila e cheia de gratidão. Quero muito agradecer a cada ser humano que me deu forças com palavras e com muito respeito entrou no meu messenger, tentando me acalmar e podem ter certeza que conseguiriam, me dão forças para seguir em frente", disse Madalena em parte da postagem.



Entenda o caso


Maria Madalena Fernandes dos Santos, que vive da confecção e venda de marmitas, teve a casa invadida por bandidos quatro vezes somente este ano. Indignada, ela resolveu desabafar em uma postagem no Facebook datada no dia 27 de junho sobre todos os casos que passou.


No mesmo dia da publicação, milhares de internautas curtiram o post e expressaram apoio à mulher.


Ao G1, Maria disse que resolveu recorrer às redes sociais para pedir ajuda. A última invasão aconteceu horas antes de publicar o desabafo. Dessa vez, os bandidos levaram os temperos que ela comprou para preparar as marmitas, vendidas por até R$ 6.
 


Sozinha, Maria, que é natural de Sergipe, cuida de duas filhas, um neto e ajuda o genro, que está desempregado. Com a venda das comidas, consegue sustentar a casa – que é própria –, além de pagar um salário a uma das filhas, que a ajuda fazendo entrega.


Em média, Maria Madalena consegue fazer de 35 a 42 marmitas por dia e garante que vende todas. Porém, por conta dos gastos, a cozinheira fica com apenas entre R$ 200 a R$ 300 por mês para ela.


Maria também contou que viveu 20 anos no município de Costa Marques antes de se mudar para Rolim, onde reside há dois. Nesse tempo, a mulher, que trabalhou fazendo faxina e em restaurante, disse que nunca passou por situação semelhante. As invasões começaram depois que ela passou a cozinhar e montar marmitas dentro de casa.

FONTE: g1






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE