DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 09/07/2019    134 Visualizações

Loja de Vilhena negou banheiro para uma criança de 3 anos a obrigando a fazer xixi na roupa

Relato do episódio humilhante foi feito pela mãe da garotinha e rendeu centenas de comentários e loja se manifestou em nota
Compartilhar

Este caso aconteceu em Vilhena, e esta desde quinta feira (04/07), que foi quando o caso foi reportado pelos veículos de noticias locais, repercutindo nas redes sociais, e o absurdo é que muitas empresas de Vilhena continuam não disponibilizando banheiros e até mesmo água para seus clientes, mesmo a lei reforçando que se deve sim disponibilizar esse direito aos clientes.

É o que revela um episódio vexatório, registrado na quarta-feira (03/07), na região central da cidade: uma menina de apenas 03 anos foi obrigada a fazer xixi na roupa, porque o estabelecimento onde ela estava a impediu de usar o toalete.

O relato da humilhação foi feito a um jornal local pela mãe da criança, levada por ela ao comércio. Quando a menina ficou “apertada” para ir ao banheiro, a mulher pediu à atendente, mas a moça negou. 

A mãe, então, procurou a gerente, que além de repetir a negativa, ainda foi grossa, alegando que a loja não tinha obrigação de oferecer banheiro à clientela. Segundo a narrativa da denunciante, a responsável pela loja ainda sugeriu: ela deveria ir usar um dos banheiros de um supermercado que fica nas proximidades.

Ao contar o episódio a mãe da menina acrescentou que, ciente da impunidade, as funcionárias da loja alegaram que estava tudo em ordem e que a prefeitura nunca havia passado ao local para fiscalizar.

 

Repercussão

Após a imensa repercussão que o caso ganhou em Rondônia, ao ser noticiado, a loja em questão resolveu se manifestar e enviou nota ao site, comentando a denúncia de uma mulher, relatando um episódio de humilhação no estabelecimento.

O caso até aquele momento já havia rendido dezenas de comentários de internautas, e motivou um radialista a gravar vídeo expondo a empresa ao falar do suposto constrangimento denunciado.

Em nota, a loja, que faz parte do mesmo grupo empresarial que controla outras franquias de varejo, também com filial em Vilhena, rebate a acusação, com a seguinte nota:

COM RELAÇÃO AO EPISÓDIO OCORRIDO NA CIDADE DE VILHENA (RO), A EMPRESA COMUNICA QUE O BANHEIRO DESTINADO AOS CLIENTES ESTAVA INTERDITADO, SEM POSSIBILIDADE DE USO, E OFERECEU À CLIENTE O BANHEIRO DESTINADO AOS FUNCIONÁRIOS. A EMPRESA AINDA AFIRMA QUE O PROBLEMA JÁ FOI SOLUCIONADO E LAMENTA QUALQUER TRANSTORNO.

Politica

No mesmo dia em que foi ao ar a reportagem, revelando a denúncia da mulher que teria sido humilhada, junto com a filha de 03 anos, numa loja de Vilhena, a vereadora Vera da Farmácia (MDB), apresentou projeto na Câmara, para evitar a repetição do episódio.

Ao apresentar o projeto, que ainda será votado na Câmara, a vereadora explicou que, quando a regra entrar em vigor, todos os comércios terão que manter sanitários, masculino e feminino, à disposição dos clientes, e sem cobrar pelo uso. As lojas ainda terão que manter nos sanitários papel higiênico, sabonete e toalhas.

A proposta também prevê que os novos empreendimentos comerciais que vieram a ser abertos na cidade só poderão receber alvará de funcionamento se estiverem de acordo com a lei municipal.

 

FONTE: O Rondoniense






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE