DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 11/07/2019    120 Visualizações

Suspeitos de desviar mais de R$ 1,2 milhão do Conselho de Odontologia são denunciados à Justiça de RO

Dinheiro desviado era fruto de contribuições dos profissionais de odontologia do estado à entidade. Investigado recebeu número maior de diárias n
Compartilhar

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou cinco pessoas suspeitas de desviar recursos do Conselho Regional de Odontologia de Rondônia (CRO-RO). O esquema foi descoberto pela Polícia Federal (PF) em investigações que resultaram na operação Diarista, deflagrada em março deste ano. As investigações apontaram um desvio de cerca de R$ 1,2 milhão em um esquema de emissão de diárias fictícias na entidade.

Conforme a PF, as investigações começaram após a atual gestão da autarquia denunciar fraudes no uso de diárias e saques indevidos, feitos pela diretoria executiva do conselho. Os recursos desviados eram oriundos das contribuições feiras pelos profissionais de odontologia à entidade.

Em 2018, apenas o diretor do conselho na época recebeu 500 diárias, gerando um prejuízo de R$ 350 mil ao CRO.

De acordo com o MPF, em alguns casos as fraudes eram muitos evidentes. Um dos acusados, por exemplo, recebeu 53 diárias em um mês com 21 dias úteis. Os investigados também aumentavam os valores e colocavam as diárias pra uma mesma pessoa, no mesmo período, mas em locais diferentes.

A "clássica" fraude, segundo o procurador Reginaldo Trindade, era montar os processos e não realizar a viagem. Outro golpe era fazer uma viagem para Ji-Paraná, por exemplo, e sobrepor a diária como se fosse até Vilhena. Eles também superfaturavam o valor; em uma viagem que tivesse diária de R$ 200, o grupo colocava como R$ 300 na prestação de contas.

 "A investigação tá muito sólida. Teve caso extremo da pessoa viajar 53 diárias em outubro de 2016, em um período de 21 dias úteis. Isso é humanamente impossível", diz.

 

Um dos envolvidos no esquema tentou atrapalhar as investigações e sobre os desvios e falsificou processos e relatórios para tentar justificar verbas desviadas. Uma das denunciadas também fraudou documentos para encobrir as transferências ilegais de dinheiro do CRO-RO para a conta dela.

A denúncia foi oferecida pela Justiça Federal e já foi aceita.

 

Operação Diarista

 

A Operação Diarista foi deflagrada no dia 12 de março de 2019 para cumprir sete mandados de busca e apreensão em Porto Velho e Cacoal (RO). Durante a operação, foram apreendidos oito carros, sendo quatro de luxo, além de uma moto.

Segundo a PF, os veículos foram adquiridos com o dinheiro desviado do CRO-RO e foram apreendidos para garantir a devolução dos recursos subtraídos dos cofres da entidade.

Os investigadores apuraram que os desvios cresceram progressivamente de 2015 a 2018, começando com cerca de R$ 8 mil por mês e chegando ao pico de R$ 60 mil desviado apenas em agosto do ano passado.

Segundo o procurador Reginaldo Trindade, os carros de luxo apreendidos estão apreendidos ainda em Porto Velho.


FONTE: Por Diêgo Holanda, G1 RO — Porto Velho






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE