DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 30/08/2019    467 Visualizações

MOTORISTAS ESPERAM ATÉ CINCO HORAS PARA ATRAVESSAR O MADEIRA

A seca do principal manancial rondoniense tem provocado demora e muito reclamação por motoristas que trafegam entre os estados de Rondônia e Acre a
Compartilhar
Fotos reprodução TV GAZETA ACRE

Jornais do Acre estão enfatizando a dificuldade da travessia por meio das duas balsas instaladas no Rio Madeira na região da Ponta do Abunã, distrito de Porto Velho. A seca do principal manancial rondoniense tem provocado demora e muito reclamação por motoristas que trafegam entre os estados de Rondônia e Acre através da BR-364 que é cortada pelo rio.

Apesar de o fato acontecer todos os anos, ainda existem motoristas que são pegos de surpresa principalmente por caminhoneiros que abastecem a região. Um motorista que não teve o nome divulgado repercutiu, por meio da imprensa, uma fila de três quilômetros já antes da balsa. “Corre o risco de Acre ficar mais uma vez isolado por causa da falta de funcionamento da ponte que está em finalização", narra o autor do vídeo.


Fotos reprodução TV GAZETA ACRE

A TV Gazeta, filial da Rede Record no Acre, exibiu uma reportagem assinada pelos jornalistas Jardel Angelim e Josenir Melo mostrando que os motoristas aguardam até cinco horas para fazer a travessia. Os carros de passeios estão seguindo com mais agilidade, por outro lado, os motoristas de caminhão são os que mais sofrem. As condições da BR-364, os buracos presentes, também é outra reclamação.


Fotos reprodução TV GAZETA ACRE

O Rio Madeira registrou nessa semana, naquela região, 9m36cm. Bancos de areias já são vistos. Enquanto isso, a saída para o isolamento do Acre através da estrada, a ponte até já nomeada de “Dom Moacir”, tem dificuldades para ser inaugurada. 

 


FONTE: NewsRondônia






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE