DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 09/09/2019    405 Visualizações

Bombeiros encerram segundo dia de buscas por desaparecidos em naufrágio em RO

Buscas serão retomadas na manhã da segunda-feira (9) com apoio da Marinha. Entre as três vítimas está o cinegrafista da Rede Amazônica Clebson R
Compartilhar
Bombeiros fazem buscas pelas vítimas no Rio Madeira — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

As equipes do Corpo de Bombeiros encerraram neste domingo (8) o segundo dia de buscas pelas três vítimas do naufrágio do rio Madeira: o cinegrafista da Rede Amazônica Clebson Ribeiro da Cunha, a irmã dele, Cleidiane Ribeiro da Cunha, e um outro homem. Os trabalhos devem ser retomados na manhã da segunda-feira (9) com auxílio de uma equipe da Marinha.


De acordo com os Bombeiros, as buscas começaram na manhã de sábado (7) e as equipes retornaram ao local do acidente durante a tarde. Um helicóptero do Núcleo de Operações Aéreas (NOA) chegou a ser usado.


Na sequência, um grupo dos Bombeiros tentou retomar as buscas por cinco pontos da região, mas não foi possível. Na manhã deste domingo os trabalhos foram retomados por volta das 7h e encerram no final da tarde. As vítimas ainda não foram localizadas.


O Corpo de Bombeiros informou que Clebson, a irmã e o homem estavam em uma pequena embarcação e teriam caído durante uma tempestade na noite de sexta, em uma área ribeirinha de Porto Velho, na região do Baixo Madeira.

O local onde a embarcação virou fica a cerca de 50 quilômetros da área urbana de Porto Velho. Uma testemunha viu a embarcação virando na água com as vítimas. Disse ainda que havia um forte vento no rio Madeira no momento do acidente.


Segundo parentes, a família havia feito um passeio até uma praia e retornava para um sítio instantes antes de sumir.


Clebson Ribeiro da Cunha trabalha na Rede Amazônica desde 2009. Ele está afastado da função há mais de um ano por problemas de saúde.


FONTE: G1/RO

Aos leitores, ler com atenção

*Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.*







  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE