DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 30/10/2019    299 Visualizações

Caminhoneiro foge após causar acidente com vítima fatal

Sobrevivente de 24 anos vai passar por acompanhamento psicológico em Vilhena
Compartilhar

Um motorista de Cacoal morreu após uma colisão entre duas carretas na BR-364, que aconteceu na noite da terça-feira, 29, nas proximidades do antigo Posto do Gaúcho, a cerca de 50 km de Vilhena. Mateus Ferreira da Silva, de 47 anos, estava acompanhado da esposa de 24 anos. Ele faleceu após chegar ao pronto-socorro do Hospital Regional de Vilhena, ela ficou internada e passará por acompanhamento psicológico antes de ser liberada.


 
As informações dão conta de que as vítimas transitavam sentido a Vilhena,  quando a carreta que Mateus dirigia foi atingida por outra, que estaria fazendo ultrapassagens indevidas e provocou o acidente. Após a colisão, o motorista que causou o acidente fugiu do local, deixando para trás parte do carregamento de caixas d’água que transportava.     


 
O Corpo de Bombeiros e a Polícia Rodoviária Federal foram acionados por outros motoristas que pararam para socorrer o casal. Mateus foi retirado das ferragens com politraumatismo, traumatismo craniano e um corte profundo na cabeça. Já Karina reclamava de fortes dores nas costelas e falta de ar. Ambos foram levados ao Hospital Regional de Vilhena.


 
No caminho, o caminhoneiro resgatado teve paradas cardíacas e os Bombeiros fizeram os procedimentos de praxe para salvar sua vida, mas, já no pronto-socorro, Mateus não resistiu à outra parada cardíaca e faleceu.


 
A área do acidente foi isolada pela PRF, que avisou os demais postos sobre a fuga do caminhão que causou a colisão. Já na manhã desta quarta-feira, 30, o veículo foi encontrado abandonado em um trevo, nas proximidades do Posto São Roque, próximo a Pimenta Bueno, na BR-364.


FONTE: ROTA POLICIAL NEWS

Aos leitores, ler com atenção

*Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.*







  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE