DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 26/11/2019    86 Visualizações

Adelino Follador volta cobrar agilidade do DER na recuperação da RO-257 e outras Rodovias

Compartilhar
A estrada dá acesso ao IFRO e municípios de Machadinho e Vale do Anarí

O deputado estadual Adelino Follador (DEM) voltou a cobrar o Departamento de Estradas, Rodagens, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) pelas péssimas condições de tráfego de algumas rodovias do Estado, como a RO-257 que está cada dia pior, a Rodovia dá acesso ao Instituto Federal de Rondônia (IFRO) em Ariquemes, onde trafegam alunos de turnos diurnos e noturnos, colocando em risco a vida de milhares de pessoas, e também liga os municípios de Machadinho D’Oeste e Vale do Anarí, sendo uma das mais importantes estradas da região, por onde são escoados grande volume da produção. 

O deputado Adelino já fez inúmeras cobranças junto ao Governo do Estado e ao DER, destacando à ineficiência da aplicação do chamado “solo e cimento” e alertando para a chegada do período chuvoso, que dificulta os trabalhos e aumenta os desgastes erosivos na pista e acostamentos. 

“Estamos recebendo inúmeras reclamações, tanto eu como o meu filho Lucas Follador, que é vice-prefeito de Ariquemes, e com toda razão, pois não é de hoje que as Rodovias do Vale do Jamari estão um caos, e apesar das cobranças e promessas que os dirigentes do DER têm feito, não estamos vendo resultados, os buracos continuam lá e só aumentam, a população é a maior prejudicada”, disse o parlamentar. 

Esta semana o deputado Adelino voltou a falar com o chefe da 2ª RR/DER de Ariquemes Hélio de Oliveira, que afirmou que estão trabalhando, “voltamos a bater massa, mas estamos com falta de insumos, sendo necessário buscar em Jaru pra ver se finaliza Buritis, pois só depois de terminar a RO-460 vamos começar a trabalhar a RO-257, temos que fazer a base e depois aplicar a massa, como entramos no período chuvoso vamos depender das janelas para executar o serviço, que se torna muito mais lento neste período, mas independentemente das chuvas não vamos parar”, confirmou Hélio. 

Segundo o deputado, os 35 quilômetros iniciais são os mais danificados, e exige muito mais atenção. Quanto ao outro trecho ruim que vai até a Sombra da Mata, cerca de 70 quilômetros, Adelino disse que falou com o técnico responsável do DER para verificar o processo contratual da obra, pois a garantia é de cinco anos, e aquele asfalto tem 4 anos, ou seja, a responsabilidade de manutenção seria da empresa, e o DER deve acionar a mesma para que faça o serviço urgente, antes que também fique em condições precárias. 

Adelino lembrou que outras Rodovias estão em situações semelhantes, e que só com uma equipe de frente o DER não vão conseguir atender no tempo necessário, “é preciso mais investimento no DER, se continuar como está o Estado vai entrar em colapso, pois as estradas são veias que bombeiam a economia, agronegócio, educação, saúde, turismo, lazer e etc.”, concluiu Adelino.


FONTE: ASSESSORIA






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE