DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 26/11/2019    542 Visualizações

CASAL TENTA SUBORNAR POLICIAIS APÓS SER FLAGRADO FAZENDO SEXO DENTRO DE CARRO E ACABAM PRESOS

A mulher saiu do carro falando para a equipe: "Qual é o motivo da abordagem? É normal, as pessoas fazem sexo na rua, vocês fazem que eu sei"
Compartilhar
A mulher saiu do carro falando para a equipe: "Qual é o motivo da abordagem? É normal, as pessoas fazem sexo na rua, vocês fazem que eu sei"

Um jovem casal foi preso nesse domingo (24) depois de ser flagrado mantendo relação sexual dentro de um carro na Rua Oir Castilho, no Bairro Jardim Primavera, em Cuiabá. Os dois ainda tentaram subornar os policiais para liberá-los.

O caso aconteceu por volta das 18 horas. Uma equipe do 10º Batalhão da PM fazia rondas pelo Bairro Jardim Primavera quando viu um Fiat Toro branco próximo à sede do batalhão, parado e balançando.

Os policiais se aproximaram do veículo e constataram que havia um casal praticando ato sexual dentro do carro. Conforme o boletim de ocorrência, a mulher estava nua em cima do homem.

A equipe ordenou que os dois descessem do carro e eles se negaram por várias vezes. Após muita insistência o homem, de 27 anos, desceu arrumando o zíper do short e a mulher, de 25 anos, continuou dentro do carro.

O homem, então, pediu para os policiais aguardarem, porque a mulher estava colocando a roupa, pois estava nua. Após alguns minutos ela desceu do carro, exaltada, dizendo:

“Qual é o motivo da abordagem? É normal as pessoas fazerem sexo na rua. Vocês fazem que eu sei”, consta no boletim de ocorrência. Em seguida, ela começou a desacatar os policiais dizendo: “Vocês não são ninguém, seus policinhas”.

O oficial de área foi acionada e a mulher resolveu tentar subornar a equipe dizendo: “O que vocês querem para liberar a gente? Vocês não estão trabalhando domingo à toa”.

Os dois acabaram presos. A mulher ainda tentou agredir os policiais e foi necessário algemá-la. O casal acionou uma advogada para quem o Fiat Toro foi entregue.

O caso foi registrado como desobediência, importunação ofensiva ao pudor, corrupção ativa, injúria real e desacato.

 

FONTE: 015 - Olivre/Karina Cabral

Aos leitores, ler com atenção

*Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.*







  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE