DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 06/01/2020    716 Visualizações

Confira as escolas em RO que serão readaptadas para o modelo dos colégios militares

O Brasil terá 54 novas escolas cívico-militares já em 2020
Compartilhar

O Estado de Rondônia foi contemplado pelo governo Federal com quatro escolas cívico-militares e que estarão funcionando em 2020. Nesta quinta-feira (2), a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) anunciou as unidades escolhidas para participar do programa: Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Ulisses Guimarães, em Porto Velho; Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Padre Ezequiel Ramin, em Alta Floresta do Oeste; Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio 28 de Novembro, em Ouro Preto do Oeste; e a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Priscila Rodrigues Chagas, em Rolim de Moura.

 

Segundo a diretora geral de Educação da Seduc, professora Irany Oliveira, as escolas vão funcionar com profissionais da Polícia Militar de Rondônia e do Corpo de Bombeiros. “As novas escolas já existem. São unidades estaduais que estão readaptadas para adotar o modelo dos colégios militares. As aulas começam já no início do próximo ano letivo, marcado para 6 de fevereiro”.

 

O Brasil terá 54 novas escolas cívico-militares já em 2020. Elas estão espalhadas por todas as unidades da federação, com exceção dos estados do Espírito Santo, Piauí e Sergipe, que não aderiram ao projeto do governo federal ou não têm militares da reserva para suprir o quadro de professores.

 

O MEC destinará, neste ano, R$ 54 milhões para levar a gestão de excelência cívico-militar para 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino. São dois modelos. Em um, de disponibilização de pessoal, o MEC repassará R$ 28 milhões para o Ministério da Defesa arcar com os pagamentos dos militares da reserva das Forças Armadas. Os outros R$ 26 milhões vão para o governo local aplicar nas infraestruturas das unidades com materiais escolares e pequenas reformas — nestas escolas, atuarão policiais e bombeiros militares.


FONTE: SECOM/ GOVERNO DE RONDÔNIA






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE