DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 07/02/2020    272 Visualizações

Governo afirma que livros citados em lista são clássicos da literatura

De acordo com o Governo do Estado os 43 livros citados nesse documento são clássicos da literatura que não devem ser recolhidos
Compartilhar

O governo do estado de Rondônia se manifestou oficialmente sobre a polêmica gerada após o vazamento de um documento emitido pela Secretaria Estadual de Educação – SEDUC, onde solicitava a retirada de uma série de obras literárias dos acervos das escolas estaduais.

 Na lista estavam livros como Macunaíma, Agosto, Os Sertões e Memórias Póstumas de Brás Cubas.

 De acordo com o Governo do Estado os 43 livros citados nesse documento são clássicos da literatura que não devem ser recolhidos, isso, além de alegar que a lista foi colocada de forma equivocada em um documento e que um processo de investigação para apurar quem vazou essas informações já está em curso.

A Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (Seduc) esclarece que recebeu uma denúncia que nas bibliotecas das escolas estaduais haviam livros paradidáticos com conteúdos inapropriados para o público alvo, alunos do ensino médio.

 Diante disso, a equipe técnica da secretaria analisou as informações e constatou que os livros citados eram clássicos da Literatura Brasileira, muitos deles usados em processos seletivos e vestibulares.

 Sendo assim, o processo eletrônico que contém a análise técnica foi encerrado imediatamente sem ordem de tramitação para quaisquer órgãos externos, secretarias ou escolas públicas.

 A Seduc reforça o compromisso com a Educação e reconhece que os livros são obras de autores consagrados a nível mundial e cumprem um papel importante para uma construção social, prova disso foram os extraordinários resultados dos alunos da rede pública estadual no último Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM, além de diversas ações e investimentos que foram feitos recentes para o início do ano letivo.

 

Serão tomadas todas as medidas necessárias para investigar o vazamento das informações internas equivocadamente documentadas.

 


FONTE: DA REDAÇÃO - JOÃO PAULO PRUDÊNCIO






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE