DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 05/06/2019    165 Visualizações

Flamengo solidifica a defesa na "versão Fera" e mostra eficiência até sem ser brilhante

Compartilhar

Entre os desafios do interino Marcelo Salles, o "Fera", o mais urgente era arrumar a cozinha. São só 180 minutos sob o comando do técnico provisório até a chegada de Jorge Jesus, mas ao que parece ele já conseguiu dar um jeito no problema. Se antes a defesa rubro-negra havia sofrido 27 gols em 30 jogos e era uma das mais vazadas entre os principais clubes do país, agora o time ficou, pela primeira vez na temporada, duas partidas seguidas sem ter sua própria rede estufada.

Na noite da última terça-feira, no Maracanã, o Flamengo foi mais uma vez consistente atrás, segurou a pressão do Corinthians e voltou a vencer por 1 a 0 (veja os melhores momentos no vídeo abaixo), garantindo vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. E o dedo do "Fera" tem mérito nessa mudança da água para o vinho do sistema defensivo.

O técnico interino de cara fez uma mudança de posicionamento para proteger melhor a zaga: deixou mais fixo Willian Arão, que sob o comando de Abel Braga era o elemento surpresa no ataque – foi assim que o volante inclusive havia marcado o gol da vitória sobre o Corinthians no jogo de ida –, e deu mais liberdade para os pontas Bruno Henrique e Everton Ribeiro.

 

Soma-se a isso a melhora significativa dos antes criticados laterais Pará e Renê, que fizeram um partidaço contra o Corinthians; o entrosamento de Rodrigo Caio e Léo Duarte; as boas intervenções de Diego Alves quando exigido; e as presenças de Bruno Henrique e Arão ajudando nas bolas aéreas, exorcizando um velho fantasma do time. E "voilà", cria-se uma defesa mais segura.

De um modo geral, o Flamengo não jogou bem e esteve longe da atuação que encantou a torcida diante do Fortaleza. O time finalizou menos do que o Corinthians (9 a 11), sofreu mais sustos, mas mostrou eficiência. E se antes as vitórias sem brilho eram graças a lampejos individuais dos jogadores, agora o aspecto coletivo aparece em jogadas trabalhadas. Tanto que as melhores oportunidades foram na bola parada com Léo Duarte, Bruno Henrique e Rodrigo Caio.

 
Mudança de posicionamento de Arão foi a chave para melhora defensiva — Foto: NAYRA HALM/FOTOARENA/ESTADÃOMudança de posicionamento de Arão foi a chave para melhora defensiva — Foto: NAYRA HALM/FOTOARENA/ESTADÃO
 

Outras observações:

 

 

  • A tal bola parada: por falar no fundamento, um time técnico como esse do Flamengo acaba criando muito mais com a bola rolando. Dos 62 gols da equipe em 2019, apenas 13 foram de bola parada: quatro de pênaltis, sete de escanteios e dois de cobrança de falta indireta. Foi assim que Rodrigo Caio marcou sobre o Corinthians, mostrando que a opção também é útil.
  • Zagueiro artilheiro? Herói das vitórias sobre Athletico-PR e Corinthians, Rodrigo Caio vive grande fase e vem mostrando um faro artilheiro não muito comum de sua carreira. Pelo São Paulo, ele marcou no máximo quatro vezes por ano, e no Flamengo ele já fez três em cinco meses. Será que o defensor vai bater seu recordes na temporada?
  • Bruno Henrique x Michel Macedo: o veto de Fagner, machucado, aumentou a expectativa dos rubro-negros sobre seu principal jogador na temporada. Mas o camisa 27 não levou tanta vantagem como se esperava sobre o menos badalado Michel Macedo. O próprio atacante admitiu na chegada ao estádio que não conhecia o lateral substituto do Corinthians.
  • O que só Jesus viu? Ainda em Portugal, o novo técnico do Flamengo avisou que iria assistir ao jogo pela primeira vez após ter sido anunciado. O português viu um time consistente na defesa, mas com um meio de campo distante do ataque. A aproximação que Diego, Everton Ribeiro e Arrascaeta tiveram contra o Fortaleza faltou na ausência do uruguaio.

 

 

A classificação na Copa do Brasil garante ao futuro treinador, Jorge Jesus, a oportunidade de jogar o torneio mais rentável do país. O Flamengo foi o quinto clube a carimbar vaga nas quartas de final após Inter, Palmeiras, Grêmio e Bahia. Seu próximo adversário será definido por sorteio, e os jogos serão só após a Copa América. Pelo Brasileiro, o time volta a campo domingo, 19h (de Brasília), no Maracanã. Os jogadores ganharam folga nesta quarta-feira e se reapresentam quinta, no Ninho.


FONTE: Globo Esporte






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE