DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 06/11/2019    279 Visualizações

Polícia Civil deflagra operação e prende mais de 30 pessoas em Rondônia

Operação Shark prende mais de 30 pessoas por tráfico de drogas na região central de Rondônia
Compartilhar
Operação Shark prende mais de 30 pessoas por tráfico de drogas na região central de Rondônia

A Polícia Judiciária Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da 1ª Delegacia de Polícia Civil do município de Ji-paraná, deflagrou na manhã de hoje, terça-feira 05/11 a Operação Shark que visa concluir uma investigação de combate ao tráfico de drogas e outros ilícitos, nos municípios de Ji-Paraná e Ouro Preto do Oeste/RO e adjacências.

Os procedimentos iniciaram há três meses, com o recebimento de uma denúncia anônima, via Disque Denúncia 197. Após diligências, o Serviço de Investigação e Capturas – SEVIC da Delegacia de Ji-paraná entendeu a razoabilidade da denuncia e identificou que os autores compunham uma Organização Criminosa, a qual comercializava entorpecentes na região central do estado

.Com a parceria do Ministério Público de Ji-Paraná foram expedidos pelo Poder Judiciário de Rondônia e cumpridos pela Polícia Civil, ao longo da Operação, 28 Mandados de Busca e Apreensão, 23 prisões temporárias, 6 prisões em Flagrante Delito por tráfico de drogas, 2 internações de menores e o sequestro de 2 imóveis que vinham sendo utilizados para vender drogas. Também foram aprendidos cerca de 1 quilo de substância entorpecente, do tipo cocaína e 2 revólveres calibre 38.

O Delegado Titular da Regional de Ji-Paraná informou que as investigações irão continuar e mais pessoas ligadas a esta Organização Criminosa, poderão ser presas. E, em complemento, serão solicitados a apreensão dos veículos relacionados com a venda de drogas. Desta forma, A polícia Judiciaria Civil do Estado de Rondônia reforça seu compromisso e dever na busca da ordem e da paz social.


FONTE: PC

Aos leitores, ler com atenção

*Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.*







  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE