DETALHES DA NOTÍCIA


Publicado em 07/11/2019    313 Visualizações

Energisa elevou conta de luz de R$ 300 para R$ 2 mil

De acordo com o presidente, os principais objetivos da reunião eram ouvir a população e recolher denúncias e eventuais provas de abusos e irregula
Compartilhar
De acordo com o presidente, os principais objetivos da reunião eram ouvir a população e recolher denúncias e eventuais provas de abusos e irregularidades praticados pela Energisa.

Com a presença de cinco deputados estaduais e de diversos políticos da região do Cone Sul, aconteceu ontem à noite, no Espaço Cultural do Sicoob Credisul, a primeira audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga possíveis irregularidades e abusos praticados pela empresa fornecedora de energia elétrica em Rondônia, a Energisa.
 
Além da deputada Rosângela Donadon (PDT), a audiência contou com os deputados que compõem a CPI: Alex Redano, presidente; Jair Montes, relator; e os membros Cirone Deiró, Ismael Crispim e Jhony Paixão. 
 
De acordo com o presidente, os principais objetivos da reunião eram ouvir a população e recolher denúncias e eventuais provas de abusos e irregularidades praticados pela Energisa.
 
O deputado Ismael Crispin afirmou que a CPI realiza um trabalho de defesa do consumidor e frisou que as reclamações no Facebook e outras redes sociais não servem como provas. “Precisamos materializar todo esse choro das redes sociais, e para isso precisamos que a comunidade denuncie e apresente provas como, por exemplo, faturas que mostrem o aumento abusivo de um mês para outro”, explicou.
 
Cirone Deiró complementou a fala do colega afirmando que as irregularidades e aumentos abusivos praticados pela Energisa tem causado indignação nas populações de Rondônia e do Acre. “Além de materializar, nós precisamos judicializar essas denúncias. Quem se sentir lesado, procure a Defensoria Pública e denuncim”. Deiró disse ainda que a CPI já deu resultados. “Os órgãos do Governo que não estavam fiscalizando, agora estão fazendo este trabalho".
 
Recepcionando os colegas parlamentares em sua cidade, Rosângela Donadon afirmou, durante sua fala, que o que a empresa Energisa vem fazendo com a população rondoniense é um absurdo. “Temos famílias precisando decidir entre comprar comida e pagar a conta de energia”, denunciou a parlamentar, que afirmou ainda que a Energisa deve R$ 2 Bilhões para o Governo do Estado. 
 
Rosângela, assim como os colegas, também afirmou que a CPI já conseguiu vitórias. Segundo ela, uma das vitórias foi o arquivamento do pedido de aumento que a Energisa havia protocolado junto a ANEEL.
 
Representado os vereadores e a população da região de Chupinguaia,  Toninho Bertozzi denunciou prejuízos dos produtores rurais, principalmente àqueles que trabalham com leite. “Já faltou energia por mais de 24 horas”, disse o vereador.
 
Representando a Associação dos Pequenos Chacareiros do Setor Aeroporto, em Vilhena, Claudinei Martins Teodoro levou para a audiência faturas de alguns meses da sede da entidade, que mostram a evolução do valor que saiu de pouco mais de R$ 300 para quase R$ 2 mil. Claudinei, cujas faturas foram anexadas aos documentos colhidos pela CPI, afirmou que os abusos praticados pela Energisa têm causado muitos prejuízos aos produtores, inclusive com a “queima” de aparelhos eletrônicos por causa das constantes quedas de energia.
 
Presente ao evento, o representante da Defensoria Pública do Estado de Rondônia, Sérgio Muniz, orientou o chacareiro a procurar o núcleo da defensoria em Vilhena, munido das faturas para protocolar a denúncia.
 
Novas audiências públicas serão realizadas em outros municípios. As próximas duas reuniões com a população já estão definidas para o dia 11 de novembro nas cidades de Ji-Paraná, a tarde; e de Cacoal, a noite. 

 
 
 
 
 

FONTE: Rogério Perucci/Folha do Sul






  • COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

    PUBLICIDADE