Adelino Follador critica a postura do secretário de Saúde do Estado diante da ameaça de greve dos servidores

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Em sua fala durante sessão ordinária nesta terça-feira (17), o deputado Adelino Follador (DEM) criticou a postura do secretário de Saúde, Fernando Máximo, por acirrar os ânimos diante da ameaça de greve dos servidores da saúde. Segundo o parlamentar, o momento era de mediação, mas a reação do secretário em entrevista à imprensa apenas provocou os servidores insatisfeitos com a demora na reformulação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários.

Adelino defendeu que, agora, é necessário que a Casa Civil tome a frente para tentar resolver a situação e tentar evitar novos atritos entre a SESAU e os servidores e resolver o problema o mais rápido possível, especialmente com a possibilidade de uma segunda onda de infecções pela Covid-19.

Ele defendeu a necessidade do Governo do Estado apresentar explicações sobre o atraso e dialogar com os servidores para encontrar uma solução que atenda a todos. “Os servidores não estão errados, é muito importante que o governo chame a categoria, explique porque não aconteceu e quando irá acontecer para que a categoria possa voltar ao trabalho”, defendeu o deputado.

DNIT

Adelino também informou que enviou um oficio pedindo para que o DNIT recupere o trecho da BR na região de Itapuã do Oeste, que se encontra em más condições, especialmente dentro da área urbana do município. O deputado declarou que já entrou em contato com o senador Marcos Rogerio para interceder em nível federal e tentar resolver logo a situação.

“Já foi investido tanto naquela BR, por que deixa um trecho desses só para criar dificuldades?”, questionou o parlamentar.

Eleições

O deputado ainda aproveitou a ocasião para parabenizar os novos prefeitos eleitos no Estado. Ele destacou que as eleições ocorreram de forma organizada, pacifica, mas ressaltou que o TSE precisa ser mais eficaz em evitar os incidentes que prejudicam a votação de modo a não fragilizar ou desacreditar o processo eleitoral.

 

 

FONTE;AGÊNCIA BRASIL

final materia 1 Irene

Deixe um comentário

Da costa Notícias
casa das alianças
roque
vloss

Posts Relacionados