PRIMEIRO SEMESTRE: Exportações da piscicultura brasileira aumentam 33% em 2020

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
– A análise dos produtos da piscicultura exportados no segundo trimestre de 2020 indica que houve um aumento das categorias de peixes inteiros congelados e óleos e gorduras, que atingiram respectivamente US$ 539 mil e US$ 418 mil. Apesar de totalizar o menor volume entre as categorias de produtos, os filés congelados também apresentaram forte aumento no segundo trimestre, passando de US$ 35 mil no primeiro trimestre para US$ 88 mil, ou seja, um incremento de 152%. A categoria “outros filés”, que incluem os filés frescos e refrigerados, continua sendo o item mais exportado com US$ 784 mil, porém com redução se comparado com o primeiro trimestre (US$ 1,7 milhão) (Tabela 1).
TABELA 1 – EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DA PISCICULTURA POR CATEGORIA DE PRODUTO, 1º E 2º TRIMESTRES DE 2019 E 2020 (EM US$)
No segundo trimestre de 2020, as exportações da piscicultura brasileira totalizaram US$ 2,3 milhões, apresentando uma queda de 29% comparando­se com o primeiro trimestre de 2020 (US$ 3,2 milhões). No entanto, no acumulado do semestre as exportações da piscicultura apresentaram um aumento de 33% com relação ao mesmo período de 2019, passando de US$ 4,1 milhões para US$ 5,5 milhões (Tabela 1). A Figura 1 mostra as exportações, mês a mês, dos primeiros semestres de 2019 e 2020.
FIGURA 1 – EXPORTAÇÕES DE PRODUTOS DA PISCICULTURA BRASILEIRA, 1º E 2º TRIMESTRES 2019 E 2020 (EM MILHARES US$)
A análise das espécies exportadas indica que a tilápia manteve sua posição de destaque nesse segundo trimestre de 2020 com US$ 1,904 milhão, porém com redução comparando­se com o primeiro trimestre. As únicas espécies que apresentaram aumento nesse segundo trimestre foram tambaqui (US$ 94 mil) e dourada (US$ 115 mil) (Tabela 2).
TABELA 2 – EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DA PISCICULTURA POR ESPÉCIE, 1º E 2º TRIMESTRES DE 2019 E 2020 (EM US$)
No acumulado do semestre a tilápia respondeu por 86% do total exportado, com US$ 4,7 milhões (Tabela 2). Os curimatás (US$ 339 mil) e o tambaqui (US$ 173 mil) foram, respectivamente, a segunda e a terceira espécies mais exportadas entre janeiro e junho de 2020. No comparativo com o primeiro semestre de 2019, percebe­se que, apesar do volume exportado de tilápia ter aumentado 23%, houve uma redução da participação desta espécie no total de exportações da piscicultura, que passou de 92,63% no primeiro semestre de 2019 para 85,99% no primeiro semestre de 2020. Destaca­se o aumento expressivo das exportações de curimatás, passando de US$ 85 mil no primeiro semestre de 2019 para US$ 339 mil no primeiro semestre de 2020 (Tabela 2).
Com relação aos países de destino das exportações da piscicultura brasileira no segundo trimestre de 2020, os Estados Unidos se mantiveram como o principal mercado importador com US$ 926 mil, porém com redução de 49% comparando­se com o primeiro trimestre. Neste período, o Chile ocupou o segundo lugar entre os principais importadores da piscicultura brasileira, com um aumento de 263% comparando­se com o primeiro trimestre, atingindo US$ 368 mil, seguido pela China com US$ 195 mil (Tabela 3).
TABELA 3 – EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DA PISCICULTURA POR PAÍS DE DESTINO, 1º E 2º TRIMESTRES 2020 (EM US$)
Os três maiores destinos das exportações da piscicultura brasileira no segundo trimestre de 2020 – Estados Unidos, Chile e China – apresentaram diferenças quanto aos tipos de produtos embarcados. Do total importado pelos Estados Unidos, 83,63% foram de filés de peixe. Quanto ao Chile, 100% de suas importações foram compostas por óleos e gorduras. A China apresentou uma pauta de importações muito concentrada nos subprodutos de peixe impróprios para alimentação humana, representando 99,96% do que o país comprou do Brasil no segundo trimestre.
BALANÇA COMERCIAL DA PISCICULTURA BRASILEIRA (JANEIRO A JUNHO 2020)
No segundo trimestre de 2020, o déficit da balança comercial da piscicultura foi de US$ 73 milhões, sendo 54% menor do que o registrado no primeiro trimestre de 2020 (US$ 160 milhões) (Figura 3). A redução no déficit da balança comercial da piscicultura no segundo trimestre foi influenciada pela forte redução das importações, que passaram de US$ 164 milhões para US$ 75 milhões.
FIGURA 3 – BALANÇA COMERCIAL DA PISCICULTURA BRASILEIRA, 1º E 2º TRIMESTRE 2019­2020 (US$ MILHÕES)
Com relação às principais espécies importadas pelo Brasil no segundo trimestre de 2020, o salmão continuou sendo o mais importante totalizando US$ 63 milhões, porém com forte queda de 53,49%. Os bagres (incluindo o pangasius) ocuparam o segundo lugar com US$ 7,78 milhões e os curimatás o terceiro lugar com US$ 360 mil, ambos apresentando queda com relação ao primeiro trimestre (Tabela 8).
TABELA 8 – IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DA PISCICULTURA POR ESPÉCIE, 1º E 2º TRIMESTRES 2020 (EM US$ MIL)
FONTE : AGRO RONDÔNIA
final materia

Deixe um comentário

pbrindes
da costa 2
deputados fotos
anuncio
anuncio 2
anuncio 3
da costa

Posts Relacionados