Principais causas para a dor de dente.

A dor de dente é um problema que incomoda muitas pessoas, seja no momento de tomar algo gelado, na alimentação ou fala. Existem várias causas para o incômodo bucal, bem como diversas formas de tratar, conforme a origem da dor. Confira no decorrer deste texto alguns fatores que contribuem para o surgimento da dor de dente. 

 

As dores de dente têm origem diversa, podendo ocorrer quando o tecido da parte mais interna do dente, onde se encontram os nervos e vasos sanguíneos, recebem algum trauma. 

 

Geralmente, é causado por alguma lesão provinda de uma cárie. Isso causa dor e hipersensibilidade no momento de mastigar e ingerir os alimentos. 

 

Contudo, existem outras causas para a dor de dente. A periodontite – doença decorrente do acúmulo de placa bacteriana -, por exemplo, também pode causar desconforto, dores, sangramento, pus, inchaço, mau hálito e gosto ruim na boca.

 

Também há casos originados nos dentes do siso, que também podem causar dor quando estão nascendo. Isso acontece porque esses dentes inflamam o tecido gengival, já que não há espaço para eles, havendo a movimentação e “rompimento” da gengiva.

 

Em alguns quadros, inclusive, a extração do dente pode ser recomendada. Além disso, existem outros fatores que podem causar dor de dente, como:

 

  • Má oclusão;
  • Problemas com obturações;
  • Bruxismo;
  • Exposição da raiz.

 

Nos casos de má oclusão ou posicionamento irregular dos dentes, é recomendado que se faça um tratamento ortodôntico por meio de um aparelho dentário, que é um dos procedimentos da odontologia mais preciso e eficaz para esse determinado problema.

Tratamentos

O tratamento da dor de dente dependerá de sua origem, variando caso a caso. Veja sobre cada caso.

 

No caso de cáries em estágio mais avançado, quando a dor costuma ocorrer, o dente infectado deverá ser retirado, realizando a limpeza da área afetada e fazendo a colocação do implante dentário

 

Basicamente, o implante consiste na estrutura responsável por dar suporte às peças que comporão o sorriso.

 

Já no caso de hipersensibilidade, o tratamento ocorre a partir de um creme dental específico, com alto teor de flúor para fortalecer o esmalte. 

 

Outras formas de nutrir o esmalte do dente é com alimentação balanceada, indo ao dentista periodicamente e realizar a higienização correta da arcada. 

 

No caso da escovação, deve ser feita no mínimo três vezes ao dia ou ao final de cada refeição para evitar processos de erosão que impactam na estrutura dental.

 

Entretanto, o flúor precisa ser utilizado ou consumido de maneira comedida, pois, se houver excesso, pode causar em fluorose dental, que mancha os dentes na boca e pode até ocasionar sua perda.

 

 Para quem passa ou passou por esse tipo de problema, é possível reduzir o impacto das manchas de fluorose por meio do procedimento de clareamento dental.

 

Também há doenças relacionadas com o emocional, como o bruxismo. 

 

Na saúde bucal, o procedimento correto é com o uso de uma placa intra oral para amenizar o impacto do aperto ou ranger dos dentes. 

 

No entanto, por se tratar de uma doença ligada ao estado mental, o tratamento pode ser feito de maneira interdisciplinar, envolvendo os profissionais da saúde mental no processo.

 

Além disso, os profissionais da área da odontologia podem receitar analgésicos e antiinflamatórios para auxiliar no controle da dor. Mas sempre, todo o processo, deve ter supervisão de um profissional.

Existem remédios caseiros?

Sim, existem remédios caseiros para aliviar a dor de dente. Os ingredientes principais para essa automedicação são:

 

  • Cravos;
  • Própolis;
  • Alho;
  • Gelo.

 

Esses ingredientes conseguem aliviar a dor consideravelmente, mas de forma momentânea, até a consulta com um dentista. 

 

A automedicação caseira não cura problemas bucais que geram esse incômodo e chega em um determinado momento que esses remédios caseiros não terão mais efeito. 

 

Isso significa que ele só pode ser feito como um método específico, para alívio do incômodo entre o contato com o profissional e a consulta.

Prevenção

A melhor forma de se prevenir da dor de dente é com os hábitos de higienização bucal e alimentação.  

 

Nas refeições, deve-se investir em componentes ricos em cálcio, vitamina D e fibra, enquanto os açucarados devem ser excluídos, para não alimentar as bactérias presentes na cavidade bucal.

 

Já quanto à higienização bucal é preciso que seja feita de forma correta, com a escovação seguida do uso do enxaguante bucal e o fio dental, que deve ser passado diariamente. 

 

Além disso, deve-se consultar um dentista a cada seis meses para avaliar a condição bucal, identificando possíveis fatores que propiciam inflamações e dores.

 

Assim, além dos cuidados e procedimentos de prevenção, estando com a saúde bucal em ordem, é possível realizar procedimentos estéticos, como a colocação da lente de contato dental, para um sorriso ainda mais alinhado e bonito – com melhora do tamanho e espaçamento também.

 

Por fim, é importante lembrar que os tratamentos devem ser feitos adequadamente, conforme indicado pelo profissional, garantindo a prevenção de problemas bucais ou mesmo a recuperação de qualidade no caso de identificar algum ofensor.

 

Assim, seja o uso de aparelho ortodôntico para solucionar a mastigação que compromete a estrutura e gera dor, até mesmo um tratamento mais invasivo, como de canal, os cuidados pós procedimentos devem ser feitos com cuidado e rigor; bem como a visita ao dentista deve ser feita ao primeiro sinal de desconforto.

 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.

 

 

 

FONTE: ASSESSORIA QUALIDADE DE VIDA

Nada para mostrar aqui

Deixe um comentário

Posts Relacionados